10/02/2005

Kitandeiras

na minha terra havia quitandeiras e piteiras.
na minha terra encarnada de rubras acacias o sombreiro dominava tudo. O dia, a noite, a praia morena e o poente. Porque do sombreiro nem o sol se lembrava de deitar. Apenas o ruido surdo do mar na praia aberta. Apenas o sal marinho nas salinas da Baia Farta.
na terra do poente a ponte do Cavaco apodrecia sem queixas.
Apenas as quitandeiras descaradas afrontavam o sol despudorado.
E nas rebitas do Bairro do Benfica as mulatinhas afiadas, languidas, puxavam os ritmos da noite nas cubatas escuras.

22:09 Écrit par Kavimbi | Lien permanent | Commentaires (0) |  Facebook |

08/02/2005

muxima

nas ruas de Luanda o cheiro a peixe seco chegou à Vila Alice.
O machimbombo cheio virou à direita para o mercado enquanto o engraxador continuava sereno e assobiando a esfregar o sapato negro do branco.
 
- Onde tens andado, menina?
- Eu? sempre na mesma senhor. Colhendo amores pela rua abaixo, correndo dividas pela rua acima.
 
E a menina virou-lhe as costas e mostrou o corpo altivo, curvando musculos e sangue.
 
 









01:12 Écrit par Kavimbi | Lien permanent | Commentaires (0) |  Facebook |

03/02/2005

tsou na mi ré do

Bon pronto, o tsunami não sabes o que é? claro, mesmo en Angola toda a gente sabe o que é o tsunami... Um marmoto. Qual marmota... Un tremor de terra no mar... bon, lembras-te de 1715? Qual revolução francesa... O terramoto de lIsboa! Era um tsunami ume marmoto. Pois estàs a ver? O mar a mexer na areia, e as ondas, as ondas cheis de furia, devastando quintais de fazendeiros, prédios de comerciantes atrazados nos impostos, e outros affairistas. Como? Algumas crianças? Sim, mas so 1,2 por cento o que é estatisticamente negiljàvel a titulo de recenseamento autonomo. Vejamos a margen do coeficiente de StanfordOnRocks : se o coeficiente é inferior a 4 pois então é que a normalidade foi ultrapassada.

De forma que o que conta hoje é o milho. O bagaço. A tuna. O pognon. O dolare.

200 mil milhoes de bilions de kuanzas... éh pà, quantos angolanos não iriam comer com este dinheiro todo? O qué? Os angolanos também deram dinheiro para os tailandeses?
Poxa, não me lixes... Os angolanos nem têm dinheiro para comprar mandioca...
 
Bom, tà bem o tsunami é melhor que os relity shows brsileiros que sempre falam das mesmas lengalengas... Pois então vamos ao tsunami en one-show.
 
Bon, e o vento? depois do mar...

01:53 Écrit par Kavimbi | Lien permanent | Commentaires (0) |  Facebook |

23/01/2005

Neve em Bruxelas

aqui meninos, ninguém goza com o tempo : 200 degraus negativos em baixo do zero centigrado.
Gelados, estamos todos gelados como o gelo da Baia Farta. Nem mesmo a Emmanuelle Béart nous descongela...

O pior de tudo sao os tomates. No verao você planta o jardim todo com tomates da holanda. E vem o gelo da antidepressao dos açores... fode a plantaçao toda! Os tomates GELADOS... poxa, acredita! Pode mesmo sentir... que arrepio...
Pois, por estas e outras é que nos vamos todos embora, antes que os Belangues cheguem por ai a cavalo com as cimitarras ao léu... Heil Kamarade Komandatur... Vamos imbola como diaz o Zeca das baleias.
Em Angola esta 36 degraus centigarfos em cima do mar. Benguela é linda, ai quem me dera là voltar...

23:17 Écrit par Kavimbi | Lien permanent | Commentaires (0) |  Facebook |

17/01/2005

Vozes de Bruxelas

eH pà! você viu o que eu ouvi? Nova Yorque vai ser engloutida pelas àguas de Tenerive...
Verdade compadre. Tudo desaparecido, oceanado, englougloutido. pronto, que queres, também não precisamos de Novas Yorques nem de Miamis. Desde que nos deixem a California e o Schwarzie...
 
pronto eu falo de Europa, sou uma boa europeai angolana pra angolanos brasileiros. Daqueles do Bairro do Benfica. Amarelos de tanto rebitar. Verdes de tanta cachinga. Chingange? Não eh pà diz là como tu chamas o vinho de palmas de maiorcas... O Saramago? LKevado pelo tsunami? Coitado, assim tão velho e desfeito por uma onda... Ainda se fosse a onda comunista... mas pronto, eu não me mestos en polticas. Vou devagar à pressa de encontrar um bilhete de ida e sem voltas. Porque das europas, meninos, dos brancos, men,inas, nem saber disso. Vous pras américas, pra asias, pros barzis, mas nada de europas. Arre, zatanaz. Vade retro cum. Amen!
 
O que é isto? CUs de Judas, claor. Se o Lobo Antunes o pode fazer, porque eu não também??? Vamos a issso. é assim tão fàcil, mesmo com assentos às avessas...
 
Os angolanos não têm os S nas cedilhas
nem as cedilhas nos F...
 
possas, pà, é bonito né?

01:24 Écrit par Kavimbi | Lien permanent | Commentaires (0) |  Facebook |

15/01/2005

APPIAH

"Africa for the Africans" I cried... A free and independent state in Africa we want to be able to govern ourselves in this country of ours without outside interference." said KWAME NKRUMAH
 
Citação no excelente livro "In My Fathers's House (Africa in the Philosophy of Culture) de Kwame Anthony APPIAH. Referencia maior para a compreensão da problematica e da cultura africana.

00:01 Écrit par Kavimbi | Lien permanent | Commentaires (0) |  Facebook |

11/01/2005

to està murcho...

acho que não està ninguém aqui lendo... Os angolanos não gostam de lêr...
vamos ver se com uma moça boniota vem maiis gente aqui...

01:18 Écrit par Kavimbi | Lien permanent | Commentaires (0) |  Facebook |